– Olá, amigos e alunos,

– Vamos continuar conversando sobre o realismo, teremos hoje uma abordagem sobre as suas características literárias. Vimos, em um texto anterior, que o realismo começou em 1881, com a publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, livro de Machado de Assis. E seu ápice se desenvolveu até os poetas Parnasianos começarem a escrever sua arte pela arte.

– O Realismo, como o próprio nome diz, tem, como foco, mostrar na literatura a realidade de seu país. Isso é, na verdade, uma contraposição ao romantismo, que escrevia sobre as ilusões da juventude, idealizando as personagens e as situações que eles vivem nos livros.

– Outra característica marcante desta escola literária chamada Realismo, é a objetividade das descrições feitas nos romances. Também se contrapondo à subjetividade do romantismo. O realista, sobretudo, faz a sua crítica à sociedade da época de forma objetiva e clara, para que o leitor reflita sobre o contexto em que ele vive.

– Se analisarmos bem, as críticas que se faziam naquela época, ainda valem para hoje. Kkkkk. Esses romances realistas continuam relevantes nos dias de hoje. Criticavam-se tudo e todos, desde os fofoqueiros das cidades pequenas até a corrupção dos poderosos. Não é de se espantar que seja a Escola literária mais exigida no vestibular, por causa de sua atualidade. Ok? Até a próxima e bons estudos 👊

– Insta @profeduardonagai.
➡ Curta, espalhe, e compartilhe😎👍