– Olá, amigos e alunos,

– No dia 5 de novembro deste ano a ministra do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, fez uma afirmação polêmica que foi noticiada por diversos meios de comunicação. Ela afirmou que o mundo está passando por uma mudança conservadora, mas o que me chamou a atenção é que para caracterizar essa mudança conservadora ela se utilizou do advérbio “perigosamente”.

– Advérbio é toda palavra que modifica a idéia de uma ação verbal. Veremos, nas orações, o advérbio sempre ligado a um verbo ou também a um adjetivo. No caso desta frase expressa pela ministra, o advérbio está ligado ao adjetivo “conservadora”.

– Este advérbio se trata de um tipo bastante utilizado, o advérbio de modo. Podemos identificá-lo pela estrutura da palavra ou pelo seu sentido no texto. Pela estrutura podemos reparar que a palavra vem com o sufixo -mente depois do radical, aqui é perigosamente. E pelo sentido, o advérbio de modo vai indicar a forma (ou seja, o modo) pela qual se caracteriza o verbo ou o adjetivo modificado pelo advérbio. Neste exemplo podemos identificar o modo como a ministra Cármen Lúcia vê a mudança conservadora.

– Em suma, é muito comum o uso dos advérbios de modo desta maneira, mas temos que usá-los com consciência. Neste exemplo, eu não sei se a ministra usou pensando nas consequências, porque ela poderia muito bem ter dito simplesmente que o mundo passa por uma mudança conservadora, mas ela usou o advérbio “perigosamente” e acabou entregando o seu modo de ver o conservadorismo. A frase ficou polêmica e ela precisou explicar porque o conservadorismo é tão perigoso. Kkkkkkk. Ok? É isso, até a próxima e bons estudos 👊

– Blog: http://www.eduardonagaiblog.wordpress.com
– Insta @profeduardonagai

➡ Curta, espalhe, e compartilhe😎👍
#LinguaPortuguesaBrasil