– Olá amigos e alunos,

– Dia 4 de Novembro teremos a primeira prova do ENEM 2018, e dia 11, teremos a última. Então, vocês já devem ter estudado todo o conteúdo. Nos próximos dias, revise a matéria, leia os jornais, assista a filmes, converse, mas evite muita tensão para que no dia da prova não dê um piripaque. Ok? Vamos para o texto.

– Vamos falar hoje sobre as características literárias do Arcadismo, e não tem como não começar com a sua principal característica, a temática do campo. Várias são as possíveis razões para o árcade escrever sobre o campo, mas o mais aceito é que as cidades estavam se formando e com elas vieram as dificuldades: Correria, confusão, violência, barulho.

– Tudo isso assustou o homem daquele tempo, que não estava ainda acostumado com essa realidade. Por isso, podemos dizer que escrever e ler sobre o campo era uma fuga da realidade. Esse fenômeno de fugir da realidade chamamos de fugere urbem.

– Além do fugere urbem, temos, como características marcantes do Arcadismo, a idealização do campo, uso reiterado do eu lírico pastoral (os pastores de ovelhas declarando seu ponto de vista sobre o mundo), a busca pelo equilíbrio (já que o barroco prestigiava o conflito), uma linguagem mais direta e simples, o neoclassicismo (eles prezavam pelas figuras mitológicas do classicismo, porque eles acreditavam que o clássico era o modelo a ser copiado).

– Apesar dessas características, tivemos também um momento do arcadismo que buscava representar o momento histórico da época em que viviam. Os poetas árcades brasileiros viveram em sua maioria em Minas Gerais, estado em que a mineração estava no auge, e por isso esse estado era muito populoso. Esse era o foco do Brasil. A literatura dessa segunda parte do arcadismo se caracterizava pela crítica social contra a exploração que o povo estava sofrendo. E o tipo de texto que os autores dessa fase do Arcadismo foi a epopeia.

– Os principais autores dessa escola literária foram Cláudio Manuel da Costa, Tomás Antônio Gonzaga, Santa Rita Durão, Basílio da Gama, aqui no nosso blog, veremos mais detidamente, nos próximos textos de literatura, os dois primeiros: Cláudio Manuel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga. Ok? Até a próxima, e bons estudos 👊

➡ Gostou? Então, curta, espalhe e compartilhe 👍