polarizacao

– Olá amigos e alunos,
– Quero antes de tudo saudar nosso novo presidente, o Jair Messias Bolsonaro. Eu e minha esposa acompanhamos, daqui do Japão, toda a movimentação dessas eleições. Informando-nos de diversas fontes. Confiáveis e não confiáveis. Concordantes e não concordantes. E tomamos partido.
– Graças a Deus nosso candidato foi eleito. E teremos um novo presidente. Isso traz fôlego novo para o Brasil. E o tema de hoje é sobre isso, sobre a polarização e a alternância do poder.
– Eu li um artigo de um jornal digital, falando que a polarização no Brasil ameaça a democracia, eu discordo dessa afirmação, porque a polarização é algo que é inerente à democracia, ou seja, a ausência de polarização é que é o enfraquecimento da democracia.
– Acontece que os poderosos que estiveram no topo do poder até hoje não querem perder a sua parte de poder e riqueza, então qualquer questionamento a esse estabelecimento do poder é visto por eles como uma ameaça, como um perigo.
– Dito isto, eu creio que a polarização seja saudável em qualquer democracia. Para que um lado fiscalize o outro, críticas dos dois lados devem ser vistas como algo bom e construtivo. Vejam países como os Estados Unidos, Japão e países europeus: Nesses lugares há polarização e alternância de poder.
– Ninguém pode se perpetuar no poder sozinho, porque, nesse caso, o país teria um dono. E se esse dono for um sanguinário, pobre desse país. Não, nada de monopólio, ou poder concentrado, queremos é essa alternativa de votar no novo. Queremos a força da alteridade. Polaridade é sim desejável nas melhores democracias. E que o Brasil entre, a partir de agora, nesse hall.