_20170408_065700.JPG– Nos estudos de língua portuguesa, assim como em outras matérias, temos os níveis de estudos. E, geralmente, estuda-se da unidade para a totalidade, ou seja, da menor forma para a maior. A gramática se divide dessa maneira:

– FONÉTICA: é o estudo da unidade gramatical, que são os fonemas, ou seja, os sons da língua. Quando ouvimos a palavra “casa”, temos 4 fonemas (sons): K, A, Z, A. Nesse exemplo, temos também 4 letras: C, A, S, A. Letras são as formas grafadas do som. Veja, no exemplo, “chave”, temos 5 letras: C, H, A, V, E. Entretanto, temos 4 fonemas: X, A, V, E. O CH representa apenas um som. Assim, podemos fazer o estudo de várias palavras. Veja,

Polícia 7 letras, 7 fonemas

Língua 6 letras, 5 fonemas

Portuguesa 10 letras, 9 fonemas

Violência 9 letras, 8 fonemas

Hoje 4 letras, 3 fonemas

Assim 5 letras, 3 fonemas

Corrupção 9 letras, 8 fonemas

Marcha 6 letras, 5 fonemas

Vermelha 8 letras, 7 fonemas

Ódio 4 letras, 5 fonemas

– MORFOLOGIA: é o estudo da palavra. Podemos estudar a palavra na sua formação interna ou externa. Quando estudamos o interior da palavra, estamos dividindo as partes da palavra: entre prefixo e sufixo, radical e desinências. E também podemos estudar a palavra como um todo, dessa forma estamos dividindo os tipos de palavras, ou seja, as classes gramaticais: substantivo, adjetivo, artigo, numeral, pronome, advérbio, verbo, conjunção, interjeição.

– SINTAXE: é o estudo da oração. Entendemos a sintaxe como estudo interno da oração, quando estudamos o período simples e sua formação, daí temos os termos essenciais (sujeito e predicado), termos integrantes (objeto direto, indireto, complemento nominal e agente da passiva), e termos acessórios (adjunto adnominal, adjunto adverbial, aposto). Assim como podemos compreender as relações entre orações, ou seja, o estudo do período composto, daí podemos ter orações coordenadas (quando uma oração não depende da outra) e as orações subordinadas (quando uma oração depende da outra, temos 3 tipos de subordinadas: subjetivas, adjetivas e adverbiais).

– SEMÂNTICA: é o estudo do texto. O estudo semântico é o mais importante de todos os níveis, porque ele é o mais amplo. Não existem fonemas, palavras ou orações soltas. Ao contrário, todas elas estão contidas no texto, e só podemos tirar os seus sentidos no contexto do texto em que estão inseridos. Qualquer palavra pode ter inúmeros sentidos, mas só dentro do texto é que saberemos os sentidos exatos. Por exemplo, a palavra paz. Paz pode ter vários sentidos, quando ouvimos a palavra “paz” na boca de Trump, presidente dos Estados Unidos, temos um sentido, e quando ouvimos de um muçulmano é outra. Quando ouvimos a palavra paz dita por um artista temos outro sentido. Ou seja, tudo vai depender do texto. O estudo semântica, portanto, refere-se ao “sentido” que empregamos quando usamos a língua através de um texto.

– NOS EXAMES: O mais importante é a semântica, pois todos os exercícios terão como base um texto, mesmo as questões especificamente gramaticais terão que ser respondidas com a leitura e interpretação de um texto. Hoje em dia, nenhum concurso, ou vestibular, pede uma resposta solta. Assim, o aluno terá que estudar a prática e o conteúdo, preferencialmente, com base em um texto. Assim faremos nesse blog sempre que o conteúdo for gramatical. O estudo exclusivo do conteúdo não ajuda, tampouco a prática sozinha nos leva a compreender o conteúdo. Precisamos sim, na hora de estudar, equilibrar entre ler o conteúdo e resolver os exercícios.